© 2017 por Lab de Sá - Laboratório Sonoro.

contato@labdesa.com |  Tel: +55 (11) 97955-8593

Criado com Wix.com

PORTFÓLIO

A Drama - EP Equilátero

O EP foi gravado com os instrumentos de cordas e bateria ao vivo no Estúdio da Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo, no mês de agosto de 2017. Os teclados foram gravados no Coletivo Digital, por Alexandre Modesto. As vozes, mixagem e masterização foram realizadas no estúdio Lab de Sá, também em São Paulo.

Ficha Técnica:

Músicos

Norma Nascimento - voz

Lucas de Sá - baixo

Marcelo Mayer - guitarra

Fernando Niero - guitarra

Renato Pestana - bateria

Alexandre Modesto - teclado

 

Autoria

Além - Marcelo Mayer

Reticências - Fernando Niero/Thays Berbe

Alto Mar - Lucas de Sá

Meritocracia Blues - Marcelo Mayer

Estudio
Estúdio da Faculdade Santa Marcelina
Lab de Sá
Coletivo Digital

Produção

Guilherme Schildberg

Engenharia de som

Fernando Sobreira

Felipe Bulbarelli

Mixagem

Guilherme Schildberg

Masterização

Lucas de Sá

Guilherme Schildberg

Arte

Marcelo Mayer

Fotos divulgação

Josi Guimarães

https://www.adrama.com.br/

Tchella - Transmutante

O álbum digital foi lançado em junho/2018 pela Rádio USP FM, no programa Sons do Brasil (Prêmio Profissionais da Música 2018). Em poucas semanas de vida Transmutante já ganhou destaque em playlists do Spotify, e entre álbuns brasileiros no Tidal, ao lado de nomes como Caetano Veloso, Titãs e Fernanda Takai.
 

Produzido por Tchella

Produção Musical e Arranjos: Paco Nabarro

Co-produção e técnico de gravação: Fernando Sobreira

Gravado por Pedro Lauletta (bateria e percussão), Lucas de Sá (baixos), André Hemsi (guitarras), Paco Nabarro (guitarra em “Sobrenatural”, (violão em “Tudo o que eu queria te dizer” e “Indisciplinada”), Antonio Dantas (bandolim e violão de aço em “Tudo o que eu queria te dizer”, “Luzes” e “Psicologia”) Michelle Eufrasio (violinos), Tchella (vozes), Pepe Cisneros (piano  em “Agradeço”).

Estúdios Sala B, Sambatá e  Lab de Sá.

Gravado em São Paulo entre junho de 2016 e julho de 2017.

Preparação Vocal: Joana Duah

Editado, Mixado e Masterizado por Magí Batalha

Identidade: Visual Luiza Braga

Foto: Adriano Carmona

Visagismo:  Gisele Braga

https://www.tchella.com/

A Flor da Pele - Trilha Sonora Original

É sempre o mais profundo que vive a flor da pele!
E assim vivem Sara e Diego, dois artistas que se sentem sufocados com seu cotidiano e cansados de sua realidade.

Diego se vê imerso em uma melancolia monocromática, buscando se livrar das amarras de sua cabeça, enquanto Sara confronta as sombras de seu passado que atormentam seus pensamentos. 
Na tentativa de se reencontrarem e na busca por inspiração para uma nova obra, eles querem refúgio. Num antigo ateliê que costumavam trabalhar, através de uma relação intensa, o caos fará florescer.

O coletivo Essência Turquesa foi fundado pelos artistas Fernando Nogueira e Tânia Freitas com a intenção de produzir números e espetáculos circenses que misturem diferentes linguagens artísticas para se comunicar com o publico; dança, teatro, música, poesia, artes plásticas e o circo como principal linguagem. Hoje o Coletivo conta com diferentes artistas representando cada umas dessas áreas.

Cine Rio Branco - Trilha Sonora Original

Um dos mais antigos cinemas do Brasil, o majestoso Rio Branco, fundado em 1927, está situado na cidade de Nazaré das Farinhas, recôncavo baiano. Criado pelo nazareno Felisberto Ribeiro Soares, foi construído em estilo art nouveau, que teve pouca difusão no Nordeste brasileiro, sendo este, um dos poucos exemplos que se conservaram. Palco de grandes histórias, o Cine Teatro recebeu inúmeros artistas que ali se apresentaram como Luiz Gonzaga, Waldick Soriano, Raul Seixas, Dalva de Oliveira, entre outros. Desde a década de 70, quando saiu das mãos da família Ribeiro Soares, o cinema fechou as portas várias vezes. Inativo desde meados da década de 90, o Rio Branco voltou a funcionar completamente restaurado e equipado no ano 2000, em mais alto estilo. A cidade recepcionou convidados muito especiais, a exemplo do craque Ronaldinho Fenômeno que veio prestigiar o amigo Vampeta, nazareno e ilustre novo proprietário que comprou e restaurou o antigo prédio com recurso próprio. Parecia até que Nazaré tinha entrado numa máquina do tempo. Com a mesma pompa da sua inauguração, em 1927, quando uma multidão com chapéus e trajes de gala assistiu “Uma noite de amor”.

Louça de Deus - Trilha Sonora Original

Patrício saiu do povoado de Maragogipinho, pelo Rio Jaguaripe, em uma canoa abarrotada de miniaturas de pratos, moringas e panelas feitas de barro, até a cidade de Nazaré das Farinhas. 
Chegando na cidade de Nazaré, Patrício expôs suas peças na antiga praça do porto, durante a semana santa. A população gostou, principalmente a criançada que se divertia com os novos brinquedos. No ano seguinte, Patrício estava de volta com trabalhos mais sofisticados, com novas formas de objetos em barro. Assim começou a Feira de Caxixis, o maior evento ceramista da América Latina. Atualmente, toda quinta-feira santa, começa uma grande movimentação na Praça dos Arcos no centro de Nazaré, constituindo-se num espetáculo a parte com a chegada dos oleiros, que todos os anos retornam a cidade com inúmeras peças de variados modelos e formatos, dando continuidade a tradição.

Tropikaô - Ladeira do Mar (EP)

O Tropikaô não é uma banda, mas sim um coletivo de produtores musicais, trazendo consigo a inventividade conjunta como ferramenta de trabalho. Com elementos da música eletrônica e acústica, somados a temperos regionais e da cultura trip-hop, o coletivo não busca apenas ser uma experiência audiovisual, mas sim um veículo de ativismo artístico. Nossa linguagem nasce justamente a partir dessa pluralidade, seja nas cidades de São Paulo e Fortaleza, agregando suas belezas e mazelas, seja na miscelânea entre som, imagem e suas possibilidades,  ou na própria construção musical, na combinação entre melodia e glitch. O Tropikaô é a nossa impressão/expressão do mundo, a partir do ponte de vista tropical.